Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP)

DR._MAURICIO_IAMAGUCHI CRM 116.096        +Currículo Completo

Formado pela Faculdade de Medicina da USP, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho e da Sociedade Internacional de Artroscopia, cirurgia do joelho e Medicina Esportiva

O ligamento cruzado posterior (LCP) está localizado na parte de trás do joelho. É um dos vários ligamentos que ligam o fêmur (osso da coxa) à tíbia (canela). O ligamento cruzado posterior impede a tíbia de mover-se para trás.
Muita força é necessária para romper o ligamento cruzado posterior. Uma causa comum de lesão é bater o joelho dobrado contra o painel do carro durante um acidente. Outras causas são acidentes com motos, entorses no futebol, quedas sobre o joelho dobrado, hiperextensão do joelho entre outras causas.


Anatomia

Anatomia normal do joelho, vista frontal. Três ossos se encontram para formar a articulação do joelho: o fêmur, a tíbia, e a patela (rótula). A patela situa-se a frente da articulação.

Os ossos estão ligados a outros ossos por ligamentos. Há quatro ligamentos principais em seu joelho. Eles atuam como cordas fortes para manter os ossos juntos e manter a estabilidade do joelho.

 

Os ligamentos colaterais

Estes são encontrados nas laterais do joelho. O ligamento colateral medial (ligamento colateral tibial) está no lado de dentro e o ligamento colateral lateral (ligamento colateral fibular)  é do lado de fora. Eles controlam o movimento lateral de seu joelho, impedindo que seu joelho dobre para os lados

 

Ligamentos cruzados

Estes são encontrados dentro da articulação do joelho. Eles se cruzam para formar um "X" com o ligamento cruzado anterior na frente e o ligamento cruzado posterior atrás. Os ligamentos cruzados controlam o movimento de seu joelho, fazendo com que ele dobre de maneira semelhante a uma dobradiça.

O ligamento cruzado posterior impede a tíbia de mover-se para trás. Ele é mais forte que o ligamento cruzado anterior e lesionado com frequência muito menor. O ligamento cruzado posterior é aproximadamente do tamanho do dedo mindinho.

 

Grande parte dos pacientes com lesão do ligamento cruzado posterior apresentam também danos a outras estruturas do joelho, como a cartilagem articular, meniscos ou outros ligamentos. Veja no tópico lesões ligamentares complexas neste mesmo website sobre o assunto.

 

Ligamentos lesionados são considerados "entorses" e são classificados em uma escala de gravidade.

 

  • Entorse grau 1: O ligamento é ligeiramente danificado em um entorse grau 1. Fica um pouco esticado, mas ainda é capaz de ajudar a manter a estabilidade da articulação do joelho.

  • Entorse grau 2:  O ligamento estende de modo a gerar alguma instabilidade no joelho. Este é muitas vezes referida como uma ruptura parcial do ligamento.

  • Entorse grau 3: Ocorre uma lesão completa do ligamento. O ligamento é dividido em duas partes, e a articulação do joelho é instável em um determinado movimento.

As lesões no ligamento cruzado posterior não são tão comuns, e são muitas vezes sutis e mais difíceis de avaliar do que outras lesões ligamentares do Joelho.

As lesões parciais e isoladas do ligamento cruzado posterior tem o potencial de cicatrizar-se espontaneamente. E são capazes de retornar ao esporte, sem problemas de estabilidade do joelho após a cicatrização da mesma.

A lesão do ligamento cruzado posterior pode acontecer de diversas maneiras. E geralmente requerem uma força importante:

Sintomas

São sintomas típicos de lesão no cruzado ligamento posterior:

• Dor com inchaço no joelho que ocorre rapidamente após um acidente
• Inchaço recorrente no joelho

• Dificuldade de caminhar
• Falta de estabilidade no joelho
• Dor para realizar atividades físicas

• Rigidez no joelho

 

Exame médico e história do Paciente

Durante sua primeira consulta, o médico vai falar com você sobre seus sintomas e histórico médico.

Durante o exame físico, seu médico irá verificar todas as estruturas do seu joelho machucado, e compará-los com o seu joelho não lesionado. A maioria das lesões ligamentares pode ser diagnosticada com um exame físico completo do joelho.

Seu joelho lesionado pode parecer caído para trás quando dobrado. Pode deslizar para trás, principalmente quando dobrado.

 

A diferença entre o joelho lesionado e o normal pode ser medida objetivamente através de um aparelho (artrômetro) no consultório médico. Esta diferença é medida em milímetros e expressa a instabilidade do joelho. Diferenças grandes entre o joelho normal e o lesionado geralmente causam sintomas importantes no paciente.

 

Exames de imagem

Outros exames que podem ajudar o seu médico a confirmar o diagnóstico incluem:

  • Raios-X. Embora eles não mostrem o seu ligamento cruzado anterior, raios-X podem mostrar se a lesão está associada com um osso quebrado. Algumas lesões do ligamento cruzado posterior podem avulsionar  uma pequena porção de osso da tíbia que pode ser visível no r-x. Radiografias com carga comparando o joelho lesionado com o não lesionado também podem ser fundamentais em alguns pacientes para decidir entre o tratamento cirúrgico e o tratamento não cirúrgico (conservador) e permitem medir comparativamente em milímetros a instabilidade do joelho lesionado comparado ao joelho não lesionado.

  • RM (Ressonância Magnética). Este estudo permite visualizar os tecidos moles, como o ligamento cruzado posterior e os meniscos. No entanto, ele não substitui o exame físico realizado pelo médico.

Tratamento não cirúrgico

Lesão parcial isolada do ligamento cruzado posterior pode cicatrizar espontaneamente muito bem sem cirurgia e seu médico pode recomendar modalidades de tratamento não cirúrgicas como:

• Repouso: Não realize nenhuma atividade esportiva, evite carregar peso e subir e descer escadas. O seu médico pode recomendar que você use muletas para evitar colocar peso sobre sua perna.
• Gelo: Use bolsas de gelo por 10 a 20 minutos, várias vezes ao dia. Não aplique gelo diretamente sobre a pele.
• Elevação. Para reduzir o inchaço, coloque sua perna acima do nível do seu coração enquanto repousa.
• Analgésicos. Medicamentos como dipirona e paracetamol reduzem a dor. Outros medicamentos podem ser prescritos pelo seu médico.
• Órtese: O seu médico pode recomendar uma joelheira para proteger seu joelho de instabilidade. Para proteger ainda mais o seu joelho, pode-se utilizar muletas para retirar a carga sobre sua perna.

• Fisioterapia: Um programa de reabilitação cuidadoso deve ser iniciado. Exercícios específicos irão restaurar a função para o seu joelho e fortalecer os músculos da perna que o suportam.


Tratamento cirúrgico
O seu médico pode recomendar cirurgia se você apresentar uma lesão com perda da estabilidade do joelho ou uma lesão associada a lesão de outros ligamentos. Por exemplo: Se o seu joelho foi deslocado durante o acidente com lesões de múltiplos ligamentos, incluíndo o ligamento cruzado posterior, a cirurgia é quase sempre necessária.

 

Já que a lesão do ligamento geralmente não pode ser suturada (costurada) ele deve ser reconstruído. O seu médico ira substituir o ligamento rompido com um enxerto de tecido. Este enxerto é retirado de outra parte do seu corpo, normalmente do seu próprio joelho ou em raras exceções de um doador humano (banco de tecidos).

 

Porém, no caso de avulsão óssea do ligamento cruzado posterior da tíbia (quando o ligamento é arrancado do osso junto com um fragmento ósseo) o fragmento ósseo preso ao ligamento deve ser fixado ao osso através de uma cirurgia assim que possível.

Reconstrução do ligamento cruzado posterior: Cirurgia para reconstruir um ligamento cruzado posterior é feita com um artroscópio (câmera de vídeo) usando pequenas incisões. Cirurgia artroscópica é menos invasiva. Os benefícios de técnicas menos invasivas incluem recuperação mais rápida, pouca dor e menor tempo gasto no hospital.

 

Geralmente a cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado posterior não é realizada imediatamente após a lesão. Um período de 2 semanas ou mais pode ser recomendado. Este atraso permite uma diminuição da inflamação do joelho, e um retorno de amplitude de movimento do joelho mais próximo do normal antes da cirurgia. Realizando uma reconstrução do ligamento cruzado posterior muito cedo aumenta o risco de artrofibrose (rigidez do joelho) devido a formação de cicatriz no interior do joelho.

 

Em caso de lesão de múltiplos ligamentos com luxação (deslocamento) do joelho pode ser necessária a realização da cirurgia nas primeiras semanas. Assim como no caso acima mencionado de avulsão óssea do ligamento.

 

Reabilitação

Se o seu tratamento envolve cirurgia ou não, a reabilitação desempenha um papel fundamental no retorno as suas atividades diárias. Um programa de fisioterapia irá ajudá-lo a recuperar a força no joelho, o movimento e o equilíbrio.

 

Após a cirurgia, pode ser necessário  o uso de muletas e órtese de imobilização do joelho por um curto período de tempo, porém a fisioterapia é iniciada assim que possível. O primeiro objetivo da fisioterapia é devolver o movimento para a articulação e os músculos ao redor. Depois é iniciado um programa de fortalecimento para proteger o ligamento novo. Este reforço aumenta gradualmente o estresse através do ligamento. A fase final de reabilitação destina-se a um retorno funcional adaptado para o esporte do atleta.

 

O tempo para retorno as atividades normais e ao esporte após a cirurgia varia conforme a gravidade da lesão inicial e das lesões associadas, sendo o retorno completo ao esporte possível a partir de 6 meses após a cirurgia. Converse com seu médico a respeito dos prazos para retorno ao esporte.
 

 

Agende sua Consulta Online 
se preferir          
11 3021-4155
ou ainda preencha o formulário.

Horários de atendimentos

Segunda a Sexta das 8h às 18h

Sábado das 8h às 12h (Acupuntura)

whatsapp-icone.png

Este site tem objetivo educativo e informativo, mas não substitui a orientação fornecida por seu médico, com base em avaliação própria para cada caso.

2018 por Consutti para Clínica Iamaguchi